Seis mil oitocentos e noventa e nove reais, esse é o preço do novo AirPods Max, lançado nesta semana pela maçã. Bem, que a Apple cobra caro pelos seus produtos não é novidade, afinal, essa é uma das características da empresa e que consagrou a marca entre os usuários com um poder aquisitivo maior. Porém, grande parte dos clientes da fabricante se surpreenderam com o valor exorbitante que está sendo cobrado por um fone de ouvido, ou melhor, headphone.

No mercado temos várias empresas conceituadas e que produzem acessórios de áudio destinado exclusivamente ao nicho profissional, como a AKG, Marchall, Beats e JBL, por exemplo. Todas essas marcas possuem padrões de qualidade que visam atender aos usuários que necessitam de frequências nítidas e som claro, evidenciando todas as nuances do áudio que está sendo reproduzido. Investindo cerca de R$ 2.000 é possível adquirir um headphone profissional e de qualidade, logo, tornando inviável a compra dos novos AirPods para fins de trabalho, com isso injustificando o preço do novo par de fones.


AIRPODS MAX

O design é simples, a construção é básica e o modelo não oferece nada de novo. Na verdade, a principal alteração está em seu formato, que deixou de ser intra auricular e passou a ser um headphone, ficando sobre as orelhas (over ear) e com suporte no topo da cabeça. Veja:

AirPods Max. Foto: Reprodução.

Às conchas possuem um formato arredondado e são lisas, sem nenhum tipo de logotipo ou relevo no material. O produto está disponível em cinco cores: cinza, prata, verde, azul e vermelho. Por incrível que pareça o aparelho não possui área sensível ao toque para controle das músicas, sendo necessário realizar o ajusto do volume através de um botão.

Outros fones – inclusive modelos in-ear – oferecem esse recurso, que facilita muito ao pular faixas ou ajustar o volume da música que está sendo reproduzida. Por enquanto nada justifica os mais de R$ 6.000 cobrados nesse wearable.

LEIA TAMBÉM:

QUALIDADE SONORA

Os fones possuem oito microfones para cancelamento ativo de ruído, ou seja, o próprio dispositivo emite frequências que anulam o que está sendo reproduzido no exterior. Esse tipo de tecnologia não é uma novidade e está presente em concorrentes mais baratos, como no JBL Club One, que custa 70% menos.

Segundo a Apple, os AirPods Max possuem um chip H1 para reconhecimento de voz, recurso que também está presente em outros modelos. Quanto ao tipo de conectividade, o padrão é o Bluetooth 5.0, que tem menos delay e um menos consumo de energia. Ainda não há comparativos com outros fones, porém espera-se que os especialistas publiquem reviews em breve.

Foto: Reprodução.

A fabricante informa que o aparelho possui bateria suficiente para até 20 horas de reprodução contínua e cerca de 1h30 com uma recarga de apenas 5 minutos. A entrada para carregamento é do tipo lightning, que também está presente nos iPhones. A empresa não inseriu o carregador na caixa, sendo preciso adquiri-lo separadamente.

A Smart Case que acompanha o produto é capaz de realizar recargas caso seja necessário. Um sensor presente nos fones identifica o momento em que o aparelho está na capa de transporte.

Case dos AirPods Max. Foto: Divugação/Apple.

DISPONIBILIDADE

Nos Estados Unidos, os novos AirPods foram anunciados no valor de US$ 550, cerca de R$ 2.816 na cotação atual e sem somar os impostos brasileiros. Por aqui o mesmo modelo foi lançado por R$ 6.899, uma diferença absurda no preço.

O site da Apple já apresenta os novos fones, porém ainda não é possível comprá-los no Brasil. Às vendas não têm uma data de início na América do Sul.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui