Após um longo tempo de espera a Xiaomi anunciou oficialmente o Mi 11 em um evento on-line. O smartphone será o próximo topo de linha da fabricante chinesa para o ano de 2021 e traz consigo vários avanços, principalmente no quesito tela. Houve, de fato, um grande investimento por parte da empresa para disponibilizar aos usuários um celular que seja de qualidade e compatível com as principais tecnologias que estão em uso atualmente, como o Wi-Fi 6E e Bluetooth 5.2, por exemplo.


TELA

Os rumores foram confirmados e o Mi 11 trouxe um display AMOLED de 6,81 polegadas e com resolução QHD+ (3200 x 1440) e frequência de atualização de 120 Hz, bem superior aos 90 Hz da geração passada e com isso proporcionando maior fluidez durante a execução de jogos ou animações da MIUI 12. A fabricante também implementou a proteção Gorilla Glass Victus, que protege a tela contra danos causados por quedas de até 2 metros de altura.

Outro recurso adicional que foi inserido são os 1.500 nits de brilho, que permitem ao usuário visualizar com tranquilidade o que está sendo exibido na tela mesmo em ambientes com muita luz.

Mi 11
Mi 11. Foto: Reprodução.

A questão que fica é: todos esses recursos da tela aumentarão o consumo energético? A resposta é sim. Uma maior taxa de atualização, alto nível de nits e a resolução Quad HD+ exigirão ao máximo da bateria do smartphone, com isso sendo necessário uma excelente otimização por parte do sistema operacional, nesse caso a MIUI 12.5 baseada no Android 11.

LEIA TAMBÉM:

PROCESSADOR

O Mi 11 é o primeiro celular lançado oficialmente com o chipset Snapdragon 888, anunciado no segundo semestre deste ano pela Qualcomm. De acordo com testes de benchmark realizados no AnTuTu, o processador obteve 745.942 pontos, com isso indicando que a nova geração de chips está otimizada tanto para jogos quanto tarefas do dia a dia. Para fornecer uma performance ainda maior o dispositivo traz duas opções de memória RAM: 8 GB ou 12 GB na versão especial.

O Snapdragon 888 é compatível com acesso à rede 5G, frequência de internet que está sendo implementada gradualmente em vários países, incluindo o Brasil.

ESPECIFICAÇÕES

Sistema operacional:MIUI 12.5 (Android 11);
Processador:Octa-core;
Chipset:Snapdragon 888;
GPU:Adreno 660;
Memória RAM:8 GB ou 12 GB;
Armazenamento interno:128 GB ou 256 GB ;
Câmeras traseiras:
• Principal:
• Ultra wide:
• Profundidade:
108 MP + 13 MP + 5 MP;
108 MP, f/1.8;
13 MP, f/2.4 e 123º;
5 MP, f/2.4.
Câmera frontal:20 MP, f/2.4;
Tela:
• Resolução:
6,81″ AMOLED;
QHD+ (3200 x 1440 pixels).
Bateria:
• Carregamento rápido:
4.600mAh;
Sim (55W, carregador não incluso).

CÂMERAS

Não há nada de novo por aqui. O aparelho traz três sensores de câmeras, sendo uma lente principal, wide-angle e macro. O principal destaque está no modo noturno nativo e que será utilizado para a gravação de vídeos, inclusive em 4K. O night mode fará com que o sensor aumente sua exposição, com isso recebendo mais luz e garantindo uma melhor gravação mesmo em ambientes com pouca luz ou durante a noite.

BATERIA

Neste ponto temos uma polêmica: o carregador. Na semana passada o CEO da Xiaomi, Lei Jun, informou que a empresa não disponibilizará o adaptador para carregamento na caixa do Mi 11, carro-chefe da empresa para o ano de 2021. Apesar disso, no evento de lançamento foi informado que o smartphone será comercializado em duas versões, sendo uma delas com o carregador incluso no kit. A Xiaomi garante que os consumidores não precisarão pagar mais para terem o carregador.

Quanto aos detalhes técnicos, a bateria possui 4.600mAh de capacidade (o que é relativamente pouco devido a tela) e suporte para carregamento rápido de 55W. Além disso o Mi 11 pode ser utilizado para carregamento reverso de 10W, sendo possível recarregar gadgets que permitem o wireless charging.

Mi 11

Por enquanto não temos testes que apresentem resultados acerca da autonomia da bateria, mas a marca afirma que o smartphone é capaz de permanecer até um dia longe da tomada.

DISPONIBILIDADE

Não há previsão de quando o Xiaomi Mi 11 chegará ao Brasil, porém já é possível importá-lo diretamente da China através de sites como Gearbest, Banggood ou Aliexpress. A versão mais cara está custando quase R$ 3.800, valor relativamente baixo para um topo de linha.

  • 8 GB + 128 GB: CN¥ 3.999 (cerca de R$ 3.215);
  • 8 GB + 256 GB: CNY 4.299 (cerca de R$ 3.460);
  • 12 GB + 256 GB: CN¥ 4.699 (cerca de R$ 3.780).

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui